Secretários Municipais, Diretores e representantes de órgãos de meio ambiente visitam UHE Barra do Braúna

Por ASCOM / Em 30/01/2019

           


 

Uma comitiva saiu de Santo Antônio de Pádua na manhã de ontem (29), com destino a Recreio/MG, onde foi realizada uma vistoria técnica na UHE Barra do Braúna.

Estiveram presentes na vistoria os Secretários Otony Francisco de Faria Jr (Defesa Civil) e Arcênio Jubim (Meio Ambiente), acompanhados de seus respectivos Subsecretários, o Major Bombeiro Militar Tostes e Subtenente Daniel (REDEC), Dr. Rene Justen e Betiza Moraes do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Tarcísio Ferreira e Lucas de Almeida do Serviços Autônomos de Águas e Esgotos (SAAE), GCM Pinheiro, Subcomandante da Guarda Civil Municipal e o GCM Ribeiro, Coordenador do Grupamento Ambiental da Guarda Civil Municipal.

De acordo com o Secretário de Defesa Civil Otony Francisco (Zuza) foi vistoriada a parte estrutural e também a qualidade da água, além de uma importante conversa sobre a segurança da barragem e o Plano de Atendimento a Emergência.

Além disso, a comitiva conheceu toda a estrutura técnica da Represa e os projetos desenvolvidos, entre eles o COOPE TEC – UFRJ, responsável pelo controle de macrófitas* e os trabalhos da Associação de Pescadores de Itaperuçú na transposição para o reservatório de peixes nativos em rota de migração e cadastro dos peixes neste período do defeso.

Também foi alinhado com a empresa o apoio para a elaboração do Plano de Atendimento de Emergência do Município de Santo Antônio de Pádua - RJ, bem como futuros projetos na área sócio/ambiental para o Rio Pomba.

Sobre a tragédia de Brumadinho, a UHE Barra do Braúna é uma represa para geração de energia, e não barragem de rejeitos.

“Informamos a população que até o momento não existe nenhum problema que venha afetar a estrutura da Represa. Estamos acompanhando e em pleno contato com as autoridades competentes e os responsáveis pelo empreendimento", disse Otony Francisco de Faria Jr. (Zuza).

Saiba mais

As plantas aquáticas são conhecidas pelos pesquisadores como macrófitas aquáticas (macro = grande, fita = planta). São vegetais que habitam desde brejos até ambientes totalmente submersos (isto é, debaixo d"água).

As macrófitas aquáticas são, em sua grande maioria, vegetais terrestres que ao longo de seu processo evolutivo, se adaptaram ao ambiente aquático, por isso apresentam algumas características de vegetais terrestres e uma grande capacidade de adaptação a diferentes tipos de ambientes (o que torna sua ocorrência muito ampla).

Texto: Mauro Teixeira / Fotos: Secretaria de Defesa Civil